Imaginação das crianças

11/10/2018

O poder da imaginação na infância 

 

 

 Na semana do dia das crianças seria inevitável não falarmos sobre nossos brilhantes protagonistas e suas incríveis habilidades, não é mesmo? E se existe algo no qual os pequeninos se destacam de longe é a capacidade da imaginação. 

 

 

Afinal, o que é a imaginação das crianças?

 

É algo em que os limites e a lógica, seja lá do que for, não existem. Dessa forma, a imaginação surge do impulso e da necessidade frequente do pequenino em ampliar seu universo e se desenvolve através do conhecido, para ir mais além do que já se viu e já se experimentou.

 

As características da imaginação se dividem em dois fatores: o externo (o que está ao seu redor) e o interno (as suas impressões sobre o mundo). Sendo assim, as características que chamam mais atenção na imaginação de uma criança são: a percepção e a subjetividade (varia de acordo com a interpretação).

 

 

Fantasia x Imaginação

 

 

A imaginação, como já vimos, é oriunda da percepção e reinvenção daquilo que é real. É algo que deve fazer parte do dia a dia da criança de forma espontânea, natural e não induzida pelos adultos.

 

Já a fantasia é algo que parte do adulto para a criança, algo que foi inventado e introduzido no mundo dos pequeninos. Muitas vezes essa fantasia pode vir em forma de manipulação e um belo exemplo disso é o famoso "bicho papão" ou até mesmo a "fada do dente".

 

 

Dessa forma, a imaginação acaba permanecendo na vida do adolescente e do adulto. Já a fantasia, desaparece ao fim da infância. Por isso, é de extrema importância que as crianças vivam a profundamente e por completo essa fase incrivelmente lúdica.

 

 

Desenvolvimento da imaginação

 

Quando bebês, nosso cérebro forma as conexões que irão nos guiar a vida inteira. Estudos indicam a importância dos 3 primeiros anos de vida: conexões frequentes permanecem e conexões que não são muito usuais não permanecem.

 

 

Essa fase é perfeita para preservar experiências ao longo da infância, como: andar, escutar musicas em outro idioma, brincar ou qualquer outra atividade que possa estimular o desenvolvimento dessas conexões cerebrais e que, por consequência, ajuda a criança a desenvolver a imaginação.

 

Imaginação de 1 e 3 anos

A imaginação está sujeita, em sua grande parte, à imitação. Sendo assim, as primeiras ocorrências são imitações do que acontece ao seu redor.

 

Imaginação na idade pré-escolar

A imitação continua, mas começam a aparecer as brincadeiras principais, como: brincar de casinha, boneca, dirigir carro ou decolar em um foguete.

 

Imaginação no ensino fundamental

O instinto é de socializar, então elas abrem mais as portas para brincadeiras em grupo. Aqui, os motivos imaginários surgem e a curiosidade por experiências novas serão uma espécie de combustível para eles. Nesse momento, a imaginação é mais abstrata, então as crianças não baseiam a imaginação na imitação, pois conseguem criar com mais audácia.

 

 

Como estimular a imaginação?

 

 

1  -  Ensine sempre;

2 - Permita que elas explorem frequentemente suas habilidades físicas, motoras e intelectuais;

3  - Deixe que elas descubram e desvendem o mundo por si mesmas;

4  - Use a brincadeira como método para desenvolver a imaginação.

 

 

 

Falta de imaginação

 

Perda de confiança, falta de estímulos suficientes e padrões rígidos impostos nas escolas ou em casa, são por muitas vezes os culpados pela perda da imaginação na vida das crianças. Outros fatores claros são os julgamentos frequentes sobre as imaginações criadas pelos pequeninos e a ausência de exemplos de pensamentos que não são racionais e lógicos para eles.

 

Para que isso não aconteça, permita dar voz às crianças, observe as atividades que eles gostam de fazer ou praticar e incentive-as sempre que possível!

 

Deixe a imaginação deles voar!  Esse é o verdadeiro espírito da infância!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

posts em destaque

Cuidados no verão

09/01/2019

1/10
Please reload

posts recentes